A libido a ser ativada é a existencial

A libido a ser ativada é a existencial

22 de abril de 2019

Vulvoscopia FF – Mulheres acompanhadas por FF

Essa é a Roberta.

Baita mãe, agora rindo a toa por ter conseguido recuperar o fogo de suas entranhas de fêmea, mulher e artista. Tudo isso vai junto, minha gente.

A libido a ser ativada é a existencial: o prazer e a liberdade em ser a mulher que se é, por inteira.

O (re)nascimento sexual vem por consequência.

E o profissional por ajuste, pois uma vez plena e gozando de si mesma, a mulher não fará nada que não lhe dê prazer, mesmo que seja uma excelente professora de inglês e uma artesã “ waldorf “ de mãos de fada como a Beta ou a Robertinha, como eu a chamo.

Agora Roberta Rocha, experimenta-se tatuadora.

Para mim, nenhuma surpresa nessa nova vocação.

Desde o primeiro momento em que começou o trabalho interior, aqueles olhos me penetravam.

Assim é ela é: Roberta entra nas pessoas.

Ultrapassa a superfície, a pele.

Tem a ousadia, a curiosidade, a habilidade e a paixão em sentir o outro, em querer entrar no universo do outro.

Há compaixão de sobra nesta mulher, que hoje aprende a ver-se e a tratar-se com o mesmo amor que oferece aos demais.

E também a proteger-se em seu território, em suas fronteiras de carne, quando também os que a querem não a merecem.

Viva teus novos processos, Roberta!

E eu sigo aqui e agora, acompanhando a tua R-evolução!

Bençãos de coragem, fé e amor

Fernanda Franceschetto
fêmea, filha, mãe, escritora, terapeuta-gestalt, atriz, jornalista e mística moderna

www.fernandafranceschetto.com
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀