Irmandade seja bem-vinda, aqui e agora!

Irmandade seja bem-vinda, aqui e agora!

16 de janeiro de 2017

Tornar-se presente é a única maneira de tornar-se consciente e iniciar um caminho de liberação e cura da doença da civilização dentro de si mesmo e no entorno que vivemos.
Fernanda Franceschetto

Irmandade, seja bem-vinda, aqui e agora!

Minhas mãos sorriem ao comunicar o parto do site FF!

Depois de 1000 dias de vivência integral e exclusiva da maternidade, estou abrindo este espaço para compartilhar experiências femininas, espirituais e profissionais de minha caminhada de autotransformação e o projeto
Vulvoscopia FF – experimenta a mulher que tu és:
um processo terapêutico criado especialmente para o público feminino, baseado na terapia gestalt e em minha própria transformação como mulher.

No site FF vocês poderão acompanhar as diferentes fases e vocações de minha vida como atriz, jornalista, fêmea, mãe, mística e agora, assumindo em público, a gestalt- terapeuta à serviço do amor ao próximo e à evolução da consciência.

. . .

Estou aqui para compartilhar a Vida!

Vamos nos dar as mãos, de verdade!
Eu recebo a tua e te ofereço a minha.
Sente o calor em nossa pele!
O que há em nós vibra!
Somos seres de energia.
Todos nós vibramos.
Se não experimentas assim, vai te des – cobrir!

Tua cabeça ainda não permite; e posso compreender.

A mente confunde e sabota a realidade viva e íntima.

Mas teu corpo sabe.

Teu corpo te conhece, mais além do discurso.

Te faço um convite: começa a habitar o teu corpo.

Teu corpo é o guia e o templo para a genuína felicidade.

Quando experimentares a ti mesmo, o que és realmente, poderás tornar-te consciente de teu ciclo de sofrimento e dependência social, afetiva, sexual, alimentar, psicológica, familiar, etc.

Só através da experiência íntima, direta e vivencial, poderás dissolver as crenças e padrões negativos de pensamento que te fazem ter uma vibração energética baixa – e também por isso, atrair situações e pessoas de baixa vibração, aumentando teu desespero e sofrimento no viver.

As crenças e padrões de pensamentos negativos e limitantes tem raízes no passado e projeções no futuro.

É preciso aprender a integrar estas “viagens no tempo” à realidade do presente; limpando o que não serve para o aqui e agora!

A mente nos faz voar e o corpo fica desabitado, ausente!

Como saber o que realmente sentimos ou queremos sem aterrissar no próprio corpo, sem estar consciente no tempo real: aqui e agora?

O presente é a vida real: é aqui e agora.

Para Fritz Perls, criador da gestalt-terapia, o neurótico é incapaz de viver no presente.

Todos somos neuróticos, em maior ou menor grau; para Freud a neurose é o mal universal.

É algo que se passa por “contaminação”, por cairmos em um mundo doente, através das pessoas que mais amamos em uma cultura doente, em uma educação doente, em uma civilização doente, como diz o psiquiatra, psicoterapeuta- gestalt e educador Cláudio Naranjo – indicado ao Nobel da Paz.

Tornar-se presente é a única maneira de tornar-se consciente e iniciar um caminho de liberação e cura da doença da civilização dentro de si mesmo e no entorno que vivemos.

Ter consciência é ter consciência aqui e agora.

O processo de tornar-se presente leva ao continuum
de autoconhecimento genuíno.

O que está dentro, está fora.

O mal/neurose/doença que há dentro de nós, também está no ambiente/mundo fora de nós: o egoísmo voraz que molda a personalidade em uma civilização baseada em conquista/competição x comunhão/ solidariedade.

É a partir da coragem de “descer ao inferno” e encarar o nosso ego, a imagem ideal/ irreal/ mentirosa de nós mesmos, é que vamos poder despertar a consciência, a compreensão, o perdão, a transformação e a aceitação perante a soberania da Vida.

A essência da transformação interior é morrer e renascer; tanto na gestalt- terapia, de acordo com Fritz Perls, como em todas as tradições espirituais, de distintas maneiras, segundo Cláudio Naranjo.

Quanto mais presentes nos tornamos, maior é a liberação do condicionamento egoico- cultural e, por tanto, menos sofrimento e mais alta vibração energética: mais prazer em estar vivo e gozar sendo o que se é!

Deixa-se de andar em círculo escuro para estar em espiral de claridade; onde o processo de r- evolução interior torna-se uma íntima realidade amorosa
e frutifica em ações no mundo!

Felicidade é quando se descobre que a identidade profunda de si mesmo não é diferente da identidade do Todo: é a experiência unitiva, a re- descoberta de si mesmo, no próprio corpo-templo-essência.

Sejamos a r- evolução!

Façamos em nós mesmos o que queremos no mundo!

Irmandade, seguimos unidos, aqui e agora!

Bençãos de coragem, fé e amor!

Fernanda Franceschetto
Fêmea, filha, mãe, terapeuta, atriz, jornalista e mística.

www.fernandafranceschetto.com