enfrento censura desde que nasci fêmea da espécie humana

enfrento censura desde que nasci fêmea da espécie humana

7 de fevereiro de 2019

Vulvoscopia FF

Eu não tenho medo de censura. Eu enfrento a censura desde que nasci fêmea da espécie humana.

Desde o momento em que me tiraram do ventre da minha mãe “ ao convencê-la” de que não era possível me parir naturalmente e de que eu não passaria através de seu canal vaginal e não chegaria ao mundo através de sua V U L V A.

Desde a adolescência quando minha menstruação era tratada como algo a ser escondido e quando a primeira ginecologista disse que eu era promíscua; quando eu estava recém experimentando minha primeira relação sexual.

Desde a juventude, como jornalista de televisão, quando era desrespeitada no dia a dia, por assédios constantes.

Desde o enfrentamento de muita gente poderosa por não negociar meu corpo. 10 anos atrás quando não era nada comum, em entrevista à famosa revista VIP ( já como atriz ) falei que havia deixado o jornalismo por ter sofrido assédio sexual no tempo de repórter e apresentadora de TV, além de outras graves injustiças vividas.

Desde as relações íntimas na vida pessoal: companheiros que me amavam – e idealizavam – mas não respeitavam minha liberdade, poder e autonomia vital e profissional. Eu os deixei um a um, para salvar e curar a mim mesma.

Se hoje sou terapeuta – e em especial para mulheres com foco de trabalho na autotransformação a partir da sexualidade/ espiritualidade – é porque sofri profundamente a ignorância deste sistema cruel e falido.

A DOR me levou ao AMOR.

E desde minha autotransformação, como fêmea, mulher e profissional, pari outra fêmea em plena consciência e em parto pélvico – nascida de bumbum – e normal. Minha filha aprendeu a falar vulva como aprendeu a falar seu próprio nome. E tem em sua mãe a guardiã de sua LIBERDADE e PRAZER na caminhada de tornar-se mulher.

E pelo A M O R a mim mesma, a minha filha e a cada irmã- mulher e S E R neste mundo, nada nem ninguém será capaz de me calar, de parar a força que há em mim, de por em dúvida a coragem que pulsa em meu coração.

 

Bençãos de coragem, fé e amor

Fernanda Franceschetto

fêmea, mãe, escritora, terapeuta, atriz, jornalista e mística moderna

 

FOTO: @angelaburon

www.fernandafranceschetto.com